O ciclista confessou que a época «correu mal» mas que isso «não o vai deitar abaixo». «O que não me mata torna-me mais forte», afirmou. Nesse sentido, o ciclista agradece o «apoio dos patrocinadores, em especial à Trifitrofa, na pessoa de Jaime Azevedo», pedindo-lhes «desculpas por na época passada não ter estado bem».

Apesar de ser «perseguido por problemas físicos há mais de um ano», o atleta continua a fazer parte dos planos da equipa espanhola, pois, segundo o ciclista, os responsáveis pelo Clube «gostam muito» de si e têm «esperanças nas suas capacidades», visto que é «muito novo» e tem o «valores muito bons». «Só que falta a sorte estar ao meu lado», acrescentou, referindo-se às lesões que o perseguem há um ano.

Na primeira concentração da época 2014, que se realizou entre os dias 7 e 9 de março, em Vigo, serviu para «conhecer os novos companheiros» e o calendário da equipa. Para Pedro Martins, a equipa foi «muito bem reforçada», tendo agora como treinador, o ex-ciclista espanhol Marcos Serra, que participou em «onze Tour de France».

Segundo o ciclista, o estágio-treino ficou «muito marcado pela lesão, dureza do terreno e intensidade». «Penso que foi um estágio muito produtivo e só espero estar a cem por cento o mais rápido possível, para estar a altura de conseguir cumprir os objetivos da equipa e pessoais desta época», mencionou, explicando que estes «ainda não são certos» e que vão «depender da sua recuperação».

Durante o estágio-treino, o ciclista trofense voltou a lesionar-se «no joelho e na virilha», o que levou-o a uma nova consulta no médico, na tarde de terça-feira, 11 de março. Apesar de ainda «não ser certo» o que tem, Pedro Martins sabe que «não é coisa boa» e que pode ser «pior do que pensa», tendo agora que «fazer mais exames para ver melhor». O próximo será «uma ecografia partes moles do joelho», que «em principio será feito no Hospital de S. João», no Porto. Como «melhor perspetiva», o trofense explicou que pode ter uma «tendinite já muito avançada» ou, «na pior» das hipóteses, «algum problema na coluna ligado aos nervos» ou «uma hérnia».

A ser acompanhado por Vasco Costa, médico da Volta a Portugal, e o especialista Ricardo Castro, que garante que são «bons médicos desportistas», Pedro Martins desabafou que «no pior dos casos» pode estar em causa o seu «futuro como ciclista».